Aluisio Mendes defende veto à proposta que amplia reserva indígena

O deputado federal Aluisio Mendes (Podemos/MA) e a prefeita de Amarante do Maranhão, Joice Marinho (PDT), estiveram reunidos com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e com o presidente da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), general Franklimberg de Freitas, para pedir a suspensão do processo de ampliação da Reserva Indígena Governador. Atualmente, de acordo com dados oficiais, a Reserva registra 41,6 mil hectares. Caso a expansão se confirme, a área passará para 204,7 mil hectares. Ou seja, Amarante teria mais de 70% do território constituído por reservas indígenas. Mais de 75 povoados estão fixados no espaço de ampliação pretendido pela FUNAI.

O presidente Jair Bolsonaro agradeceu o encaminhamento de Aluisio e disse que, em seu governo, não haverá ampliação das reservas. “No que depender de mim, não serão ampliadas e nem teremos novas reservas na região”, disse o presidente.

Aluisio Mendes defende a suspensão do processo e destaca os impactos negativos da proposta: “a região tem o segundo maior rebanho bovino do Maranhão. Essa reserva tem mil índios e 44 mil hectares. A proposta é ampliar para 200 mil hectares e desalojar 20 mil pessoas. O presidente não tinha conhecimento e pediu para que a FUNAI suspenda o estudo imediatamente”, afirmou o deputado Aluísio Mendes.

Com uma população estimada em 40 mil habitantes, o município de Amarante está entre os dez maiores em extensão territorial do Maranhão e possui metade dos seus 7.669,090 km² destinados às reservas indígenas. A Terra Indígena Governador, existente no local e alvo de estudos para ampliação, pertence à etnia Gavião.