Alvaro Dias elogia decisão do presidente do Senado de iniciar debate sobre a reforma tributária

Em pronunciamento no Plenário, o senador Alvaro Dias, nesta terça-feira (09/07), para destacar o entendimento dos líderes partidários do Senado em torno da discussão sobre a reforma tributária na Casa. O senador relatou que o Podemos reuniu-se na semana passada com o ex-Deputado Luiz Carlos Hauly para discutir uma proposta (PEC 293/2004) relatada por ele e decidiu por subscrevê-la por inteiro.

“Levamos a proposta ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, em razão da importância dessa reforma, considerando que deve ser uma reforma da instituição, uma vez que o Senado Federal é a Casa da Federação”, completou o senador do Podemos.

Alvaro Dias avaliou que a proposta de Luiz Carlos Hauly é modernizadora e solidária por propor um sistema progressivo de taxação, cobrando menos impostos no consumo e mais na renda. Além disso, informou, dez impostos serão transformados em um apenas, o IVA, e será adotado um sistema eletrônico de cobrança dos impostos.

“Certamente, o modelo tributário moderno, simplificado e, sobretudo, progressivo vai sim aquecer o mercado, vai melhorar o ambiente de negócios e vai promover a retomada do crescimento econômico, com geração de emprego, renda e receita pública”, afirmou.

Na proposta de Hauly, dez impostos serão transformados em um apenas, o IVA. “Nos países mais evoluídos do mundo, nas nações do primeiro mundo, o IVA vem sendo praticado há 52 anos e nos coloca, inclusive, em desvantagem no momento de competirmos com os concorrentes na exportação, já que o nosso modelo tributário é antiquado, superado, é retrógrado e não pode competir com o modelo tributário das Nações mais avançadas. Precisamos avançar. E a modernização passa, inclusive, por um sistema eletrônico de cobrança dos impostos. Ao invés das notas fiscais e das guias para pagamento de impostos, a burocracia, que atormenta e desestimula, nós teremos um sistema eletrônico moderno, que, on-line, vai arrecadar com base na conta bancária das empresas e distribuir aquilo que compete ao Município, aquilo que compete ao Estado e à União. Nós temos certeza de que, certamente, será a alavancagem para a retomada do crescimento econômico”, justificou Alvaro Dias.

Foto: Thati Martins