Alvaro Dias pede estudo para descobrir por que o custo da dívida pública é um dos maiores do mundo

O senador Alvaro Dias apresentou nesta terça-feira (07/05), em Plenário, um requerimento ao presidente da Casa, Davi Alcolumbre, para que a Instituição Fiscal Independente (IFI) realize estudos sobre a dívida bruta do governo, seu custo, evolução e administração. A IFI foi criada pela Resolução do Senado nº 42/2016 com o objetivo de acompanhar o desempenho fiscal e orçamentário do país.

Alvaro Dias destacou que o custo médio anual da dívida bruta brasileira está entre os maiores do mundo, no patamar de 7% do Produto Interno Bruto (PIB). Ele comparou esse custo com o de outros países, como o da China e do Chile, que gastam anualmente com o pagamento de juros, em média, 0,9% de seus respectivos PIBs.

“A situação fiscal e financeira em que o Brasil se encontra hoje demonstra que as orientações econômicas seguidas nas últimas décadas não produziram os resultados almejados pela população. Precisamos, com urgência e eficiência, fazer as mudanças que o Brasil precisa para melhorar a capacidade de investimentos dos estados e produzir empregos para a nossa população”, observou o Líder do Podemos.

O Líder do Podemos lembrou ter apresentado uma proposta de resolução sugerindo um limitador fixo para a dívida pública de 50,9% do Produto Interno Bruto. A proposta contempla um período de transição de 15 anos. “A dívida pública, pelo impacto que representa anualmente no Orçamento público e na vida das pessoas, deve ser considerada um assunto relevante que precisa ser colocado na agenda política dos Poderes da República. Quanto mais informações e estudos realistas forem elaborados, mais o debate se torna qualificado, mais o tema ganha condições de ser acompanhado pela população, que é, de fato, quem já paga e continuará pagando juros e o montante da dívida adquirida pelos Governos que se sucederam. A situação fiscal e financeira em que o Brasil se encontra hoje demonstra que as orientações econômicas seguidas nas últimas décadas não produziram os resultados almejados pela população. Precisamos, com urgência e eficiência, fazer as mudanças que o Brasil precisa para melhorar a capacidade de investimentos dos Estados e produzir empregos para a nossa população”, concluiu Alvaro Dias.

(Com informações da Agência Senado)

foto: Thati Martins