Alvaro Dias pede fim do acirramento eleitoral para que as reformas possam ser aprovadas

O senador Alvaro Dias pediu, na sessão plenária desta segunda-feira (20/05), o fim do acirramento eleitoral que se estende desde a campanha eleitoral e as eleições de outubro de 2018. O Líder do Podemos criticou o que chamou de suposta estratégia arquitetada de responsabilizar o Congresso Nacional pelas crises que afetam o Brasil, e disse que o Congresso precisa se mobilizar para que sejam promovidas as mudanças necessárias.

No seu pronunciamento, Alvaro Dias reconheceu que o Legislativo tem sido lento nos seus procedimentos e que os projetos não tramitam com a agilidade necessária. Mas lembrou que o país vive sob um presidencialismo que concentra poder e se impõe diante do Parlamento, e que a grande responsabilidade a ser assumida é sempre do chefe do Poder Executivo, a quem cabe, de fato, governar.

Alvaro Dias rejeitou a tese de que o Brasil é ingovernável e que seja um país de fracassados. Ao contrário, segundo o senador, é um país extraordinário, que tem uma população trabalhadora e ordeira, que mesmo quando vai para as ruas, vai de forma disciplinada.

“Eu repito, o Brasil não é um país de fracassados. Alguns governantes podem fracassar, mas os brasileiros repudiam o fracasso. Nós não aceitamos a tese de que o Brasil é um país ingovernável”, disse o Líder do Podemos.

(com informações da Agência Senado)

foto: Thati Martins