Audiência proposta por Silas Freire debate situação dos pacientes renais

A Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara dos Deputados promoveu ontem (19) audiência pública para discutir a hemodiálise no País e a situação dos pacientes renais crônicos. O debate foi proposto pelos deputados Silas Freire (Podemos-PI) e Mandetta (DEM-MS).
Silas Freire citou dados da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO) para explicar a importância do debate. “Aproximadamente 10 milhões de brasileiros sofrem algum tipo de disfunção renal, dos quais mais de 120 mil fazem hemodiálise. E, destes, 35% têm indicação de transplante, mas a fila de espera é enorme e o número de doadores não aumenta significativamente.”
Durante o evento, foram apresentados pontos favoráveis e contrários à reutilização das linhas para procedimentos de diálise como hemodiálise, hemofiltração, diálise peritoneal, entres outros. Silas Freire, que recentemente lançou a cartilha com os direitos dos pacientes renais para difundir informações sobre a doença e os desafios enfrentados por esses pacientes, além de seus direitos, falou na audiência sobre essa polêmica do reuso de materiais.
“Vemos com preocupação a edição da Anvisa que proíbe o reuso de material de diálise, já que as clínicas brasileiras acham que ficará impossível o funcionamento e assim pode acontecer uma cartelização por parte de multinacionais que arrodeiam o Ministério da Saúde. No entanto, nós gostaríamos que os materiais realmente não fossem reutilizados pois podem trazer a hepatite B e C e outros riscos. A gente sabe que isso defende de financiamento e por isso que trouxemos essa discussão aqui em favor do paciente renal.”, declarou o parlamentar.
Na ocasião participaram  o presidente da Associação dos Pacientes Renais do Piauí (Aprepi), Luiz Filho, e autoridades da área da saúde como representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Saúde, além de pacientes, diferentes associações da área médica e parlamentares.