Bancada do Podemos no Congresso faz ato em defesa da Lava Jato e do fim do foro privilegiado

Senadores e deputados do Podemos fizeram, nesta quarta-feira (20/3), um ato no Salão Verde da Câmara dos Deputados em defesa da Operação Lava Jato e da votação urgente da PEC do senador Alvaro Dias que acaba com o foro privilegiado. A presidente do Podemos, deputada Renata Abreu, cobrou agilidade da Câmara para votar o fim do foro. “Com esse nosso ato, queremos chamar a atenção para o que vem acontecendo com a Lava Jato. Também queremos alertar os parlamentares e a sociedade para a importância de votarmos com urgência a PEC de Alvaro Dias que acaba com o foro privilegiado de autoridades. Precisamos que este projeto tramite com urgência, precisamos que haja agilidade por parte do Legislativo para que projetos como esse sejam aprovados e o Brasil possa avançar no combate à corrupção”, disse a presidente do Podemos.

O líder do partido na Câmara, deputado José Nelto, disse que está colhendo assinaturas para que a PEC de Alvaro Dias seja votada em regime de urgência. “Estamos colhendo assinaturas, e até a próxima semana acredito que já teremos o apoio de 171 deputados para pedirmos urgência na votação da PEC que acaba com o foro privilegiado. Esse projeto é amplamente apoiado no Congresso, e eu gostaria de pedir também o apoio do Ministério Público para que pudesse pressionar os deputados pela votação da PEC do fim do foro”, afirmou o deputado.

Para Alvaro Dias, líder do Podemos no Senado, nenhuma pauta é mais importante do que acabar com o privilégio para mais de 55 mil autoridades do País: “Apoiar a Lava Jato é votar o fim do foro privilegiado. Se nós queremos caminhar para uma nova justiça no País, precisamos respeitar a Constituição que diz sermos todos iguais perante a Lei”, disse.

Alvaro Dias lembrou que, nos últimos cinco anos, enquanto a Justiça condenou 285 pessoas na Operação Lava Jato, o STF condenou apenas uma autoridade com foro. “A Lava Jato é prioridade nacional, e defender a lava Jato é responsabilidade do Brasil decente. Nós que integramos o país da decência, devemos apoiar o Ministério Público, a Polícia Federal, os magistrados que cumprem o seu dever. Apoiar a Lava Jato é certamente votar aqui na Câmara a PEC do fim do foro privilegiado. Não precisamos de outros argumentos para justificar a importância da votação da PEC, basta citar os números. Em cinco anos, a Lava Jato teve 285 condenações em primeira instância. No Supremo Tribunal Federal, no mesmo período, tivemos apenas uma condenação. Na primeira instância, mais de três mil anos em condenações. No STF, apenas uma de 13 anos. Não é preciso nenhum outro argumento para demonstrar a importância de aprovarmos a PEC que acaba com o foro privilegiado”, disse Alvaro Dias.

Presente ao ato na Câmara, o senador Eduardo Girão destacou que antes de ser eleito, por diversas vezes participou de atos em frente ao Congresso ou na Praça dos Três Poderes, defendendo causas como a própria PEC do fim do foro privilegiado. O senador disse que se sente satisfeito em estar agora, como parlamentar, ao lado de pessoas de bem que querem transformações de verdade no Brasil. Girão defendeu ainda a instalação da CPI dos tribunais superiores. “Precisamos encarar a verdade. A verdade precisa vir à tona. Vamos abrir a CPI dos tribunais superiores, a Lava Toga. Vejo isso com bons olhos, pois todos os poderes estão sendo investigados, e o Poder Judiciário não pode fiar de fora. Precisamos saber o que dá tanto medo nesses magistrados”, pontuou o senador do Podemos.