Câmara realiza Comissão Geral para discutir destino das Universidades

As ameaças do governo ao ensino superior e o contingenciamento orçamentário motivaram o deputado Bacelar (Podemos/BA) a apresentar um requerimento convocando uma Comissão Geral em defesa das Universidades Públicas, Institutos Federais e CNPq. O líder do Podemos da Bahia foi o primeiro parlamentar a levantar o debate em plenário. A Comissão Geral foi marcada para 15 de outubro, dia do professor, às 9h30.

Ao argumentar, Bacelar afirmou que o programa Future-se, manobra apresentada pelo Ministério da Educação para suprir os cortes das verbas, é impreciso, vago e cheio de lacunas. A autonomia das universidades é outra preocupação do parlamentar. “Não houve efetivo dialogo com os dirigentes das instituições federais, docentes, servidores ou estudantes. Mal estruturado, o Future-se não esclarece como será a realidade das Universidades que vierem a aderir e tampouco das que não fizerem adesão. Nada pode ameaçar o caráter público, gratuito e autônomo de nossas IFES. O efeito para o país será a pressão sobre a produção científica, o que vai levar o país ao obscurantismo.” disparou.

Bacelar destacou ainda que o déficit de R$ 330 milhões no orçamento do CNPq que ameaça o pagamento da bolsa de 84 mil pesquisadores espalhados pelo Brasil, a partir de setembro, também coloca em risco o desenvolvimento do país. “Pesquisa interrompida é praticamente pesquisa perdida. A situação é grave e merece todo o nosso cuidado, empenho e atenção. Desmobilizar as universidades federais, responsáveis pela maior capilaridade da ciência, acaba sendo um objetivo muito concreto do bolsonarismo” finalizou.