Dr. Sinval aciona ministro da Justiça para combater novo ‘jogo macabro’

Na sua luta implacável em defesa da família brasileira, o médico e deputado federal Dr. Sinval Malheiros acaba de protocolizar na Câmara Federal requerimento de informação ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, para saber quais medidas estão sendo tomadas no combater ao mais novo ‘jogo macabro’ propagado pelas redes sociais no Brasil: o ‘Desafio da Boneca Momo’.

Segundo Malheiros, assassinos estão induzindo crianças e adolescentes ao suicídio através de um desafio que leva a pessoa ao sufocamento. Este desafio tem circulado no aplicativo de mensagens WhatsApp. No Recife, o jogo já fez uma vítima fatal: uma criança de 9 anos foi encontrada pelos pais enforcada em uma árvore por um fio, no quintal de sua casa, no bairro do Cordeiro, Zona Oeste da cidade.

A criança chegou a ser levada com vida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro dos Torrões, depois foi transferida para um hospital particular na Ilha do Retiro, mas não resistiu. A professora Jany Nascimento, mãe de Arthur Luis Barros Santos, prestou depoimento no Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA), afirmando que o filho estaria participando de um jogo e foi induzido a se enforcar.

“O induzimento ou instigação ao suicídio está previsto no Código Penal. Se o ato for consumado, a pessoa pode pegar de dois a seis anos de reclusão. A pena pode ser duplicada caso a vítima seja menor de idade, o que acontece no jogo”, afirma o parlamentar em sua justificativa. “Se o jogador não se matar, ainda assim o curador pode ser penalizado com um a três anos de reclusão”, afirma Malheiros.

No requerimento ao ministro da Justiça, o médico e deputado Dr. Sinval pede ainda para que a Polícia Federal chegue aos responsáveis pela propagação do jogo, praticado pelo aplicativo Whatssapp. A intenção é que os investigadores busquem e identifiquem os chamados ‘curadores’, que são os responsáveis por enviar ao participante os desafios a serem encarados.

Baleia Azul – Dr Sinval Malheiros também foi o primeiro parlamentar a acionar o Ministério da Justiça pedindo que a Polícia Federal investigasse o desafio ‘Baleia Azul’, que vitimou dezenas de crianças e adolescentes no Brasil.

“O novo jogo macabro trata-se de um desafio parecido com o da ‘Baleia Azul’, que pede para que o usuário adicione um número no WhatsApp. A partir disso, as crianças e adolescentes começam a receber desafios e ameaças”, detalha Dr. Sinval.

Especialistas afirmam que dois dos números vinculados a Momo são originários da Colômbia e do México. Os perfis originais foram excluídos, mas ainda há pessoas propagando o jogo no País. Não podemos aceitar que criminosos incentivem o suicídio entre jovens e adolescentes brasileiros”, finaliza o parlamentar.