Dr. Sinval propõe Festa do Ovo de Bastos como Patrimônio Cultural do Brasil

O município de Bastos, no interior de São Paulo, cidade com cerca de 20 mil habitantes, realiza, anualmente, a Festa do Ovo, principal evento de fomento à importância e ao comércio do ovo no Brasil. Para reconhecer a importância deste polo econômico, o médico e deputado federal, Dr. Sinval Malheiros (SP), protocolizou no Congresso Nacional o projeto de lei 10.206/18, que eleva a Festa do Ovo de Bastos à condição de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.
Em sua proposta, o parlamentar lembra que a cidade, com menos de 0,01% da população nacional, produz sozinha 25% de um alimento de imenso valor nutricional e fundamental importância para o brasileiro, sendo uma rica fonte proteica e vitamínica a preço geralmente mais acessível que a carne vermelha, por exemplo.
“Trata-se de um evento de extrema importância e atratividade para as regiões circunvizinhas, atraindo o interesse de inúmeros produtores ligados ao setor. Em 2017, por exemplo, 82 empresas foram expositoras no evento, o que demonstra sua magnitude, estando em franca ascensão em sua importância”, avalia Malheiros.
“De 2016 para 2017, por exemplo, houve um aumento de 30% no número de expositores. O evento tem de tudo um pouco: atividades recreativas relacionadas ao ovo (concursos sobre quem come mais), certames com objetivo de avaliar a qualidade dos ovos e concluir-se pelo melhor, oficinas e palestras destinadas à difusão de informações sobre o alimento, sua produção e técnicas, e inclusive funcionando como polo de discussões tecnológicas acerca do tema”, afirma.
Saiba mais – Bastos foi fundada por imigrantes japoneses, que passaram a investir na produção de ovos após a Segunda Guerra Mundial, como forma de resgatar a economia local. Hoje, é conhecida como “a capital nacional do ovo”.
A Festa do Ovo de Bastos nasceu no ano de 1948 e foi ganhando importância com o passar do tempo. Antes realizada a cada cinco anos, a festividade passou a ser anual e hoje caminha para sua 59ª edição, que evidenciam a importância do local e sua dedicação à produção do ovo.
“A festa funciona como verdadeira força motriz da produção de ovos no Brasil, com aspectos característicos da difusão cultural, informacional, educacional e comercial, o que evidencia ser um patrimônio de ordem cultural e imaterial. A tradição e a qualidade do que é ali produzido é de fundamental relevo não só para Bastos, ou mesmo para o Estado de São Paulo, mas para o Brasil, posto ser o maior expoente da produção de um dos principais alimentos nacionais”, complementa.
Tradição – Para o deputado médico, o Brasil precisa aprender a valorizar mais suas tradições de relevo e importância, que transmitem bons costumes, e aperfeiçoá-las, algo que Bastos tem dado exemplo. “Tem transformado um evento recreativo na oportunidade de se realizar mercancia e difundir conhecimentos e tecnologias, sem perder a alegria e o lazer proporcionado pela festa”, finaliza.
O município possui mais de 33 milhões de aves destinadas à produção de ovos e, segundo o presidente do Sindicato Rural local em 2017, o avilcultor Katsuhide Maki, as granjas do município produzem 216 unidades por segundo, com 18,7 milhões de ovos por dia. Por ano, Bastos produz cerca de 10 bilhões de ovos, o que representa cerca de 25% da produção brasileira anual de 40 bilhões.