Eduardo Girão defende criação da CPI dos Tribunais Superiores

O senador Eduardo Girão, do Podemos do Ceará, defendeu durante a sessão desta quinta-feira (04/04) a criação da CPI dos Tribunais Superiores para apurar denúncias de irregularidades no Poder Judiciário. O senador receia que “o povo perca a fé” nas instituições, se a CPI não for criada. O pedido de criação foi enviado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e, posteriormente, do Plenário.

Girão criticou ainda a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, de instaurar inquérito para apurar manifestações de pessoas contra a Suprema Corte.

“É um direito do povo se manifestar. Causa perplexidade esse tipo de iniciativa, como se quisesse calar, intimidar as pessoas que estão se mobilizando e vão se mobilizar cada vez mais, até que a verdade venha à tona”, disse o senador.

No seu pronunciamento, o senador Girão disse ter o receio de que decisões como essa do arquivamento da CPI levem a população a perder a confiança em suas instituições. “Afinal por que apenas membros do Executivo e Legislativo podem ser investigados? Por que o Judiciário pode estar acima do bem e do mal? Nós sabemos que existem muitos juízes, muitos ministros que são éticos, corretos, íntegros, que cumprem o seu dever. Mas essas denúncias precisam ser respondidas. E é prerrogativa desta Casa, do Senado Federal – não tem outro poder para fazer isso, que não seja o Senado Federal – investigar essas denúncias diretas”, afirmou.

Para o senador do Podemos, decisões do Senado que vão na contramão das exigências da população podem levar a uma revolta popular, pela propagação do sentimento de que as instituições não atendem aos anseios dos brasileiros.

“Não se pode desprezar o clamor popular, em momento algum. Eu disse aqui, várias vezes, que nós estamos tendo uma oportunidade ímpar de aproximar essa Casa, o Senado Federal da sociedade brasileira. Pela primeira vez, em muitos anos, a população do Brasil está acreditando aqui, está acreditando em nós. Por isso, não nos calaremos. Lutaremos até o limite de nossas forças. Eu fui eleito, porque coaduno com esses gritos das ruas e já fui, e continuo sendo, uma dessas vozes”, concluiu o senador Eduardo Girão.

(foto: Luiz Wolff)