Igor Timo questiona Ministério da Saúde sobre critérios de distribuição de vacinas contra covid no Brasil

Denúncias apontam que alguns municípios receberam mais doses do que o tamanho da população

O líder do Podemos na Câmara, deputado federal Igor Timo (MG), protocola, nesta semana, requerimento de informação ao Ministério da Saúde para esclarecer fatos relacionados ao critério de distribuição de vacinas contra covid no Brasil.

O parlamentar também quer informações sobre o quantitativo de vacinas já disponibilizadas para cada Estado e Município, na execução do plano Nacional de Imunização (PNI).

“Quais critérios técnicos adotou o Ministério da Saúde, ao enviar para o Paraná quantidade de vacinas aproximadamente 25% a menos do que o Rio Grande Sul, embora aquele estado tenha uma população maior do que este? Por que Belo Horizonte recebeu vacinas para 57% de sua população, e Ribeirão das Neves ganhou imunizantes para tão somente 25% de seus habitantes? ”, cobra Igor Timo.

No documento, o parlamentar aponta que municípios questionam o fato de algumas localidades estarem recebendo mais vacinas que o número da população. Em contrapartida, outras cidades receberam doses em quantidades reduzidas.

Fato constatado no estado do Paraná (que tem mais de 11,5 milhões de habitantes)  e recebeu 391,72 mil doses das vacinas Coronavac e AstraZeneca, enquanto o Rio Grande do Sul (com população estimada em mais de 11,4 milhões), recebeu 511,23 mil doses contra a Covid.

Além disso, o deputado destaca que os dados também serão utilizados para que o parlamento fiscalize as ações de distribuição das doses em todo o país.

“A resposta aos nossos questionamentos subsidiará a fiscalização do Poder Legislativo sobre a política nacional de vacinação contra a Covid-19, que constitui garantia de eficiência e de transparência no enfrentamento da pandemia pelo Governo Federal”, reforça o deputado.

Em fevereiro deste ano, a presidente Nacional do Podemos, deputada federal Renata Abreu (SP), também cobrou do Ministério da Saúde a revisão dos critérios de distribuição das vacinas contra covid.