José Nelto cobra explicações do ministro da Economia sobre cerca de 200 mil pedidos de seguro-desemprego que estão parados

O deputado federal José Nelto (GO) cobra a liberação imediata do seguro-desemprego para mais de 200 mil trabalhadores. Nesta quarta-feira (5), o parlamentar enviou requerimento ao Ministério da Economia e à Secretaria de Previdência e Trabalho exigindo que o Governo Federal priorize o pagamento do benefício.

Devido à crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), houve um aumento exponencial do número de desempregados no mundo. Somente no Brasil, estima-se que por volta de 1,2 milhão de pessoas entrarão na fila do desemprego.

Um dos principais fatores para esta crise está no necessário estimulo ao autoisolamento social, com suspensão temporária de determinadas atividades, a fiscalização para que se evite aglomerações, que entre outras medidas acaba por frear a circulação de pessoas e, igualmente, o consumo, prejudicando em especial à atividade comercial.

Para o deputado federal, mesmo com o aumento na demanda, que pode justificar parte da demora, cabe ao Estado se organizar de modo a prestar aos contribuintes os serviços necessários, em tempo hábil e eficiente.

“Defendo aqueles que estão desempregados e têm direito a receber o seguro-desemprego. Cobrei informações ao ministro da Economia e ao Secretário Especial da Previdência e Trabalho, sobre essa situação. O que eu quero é que eles deem prioridade e celeridade na análise dos pedidos”, explana José Nelto.

Segundo o parlamentar, essa situação coloca o cidadão em vulnerabilidade, já que além de ter sido dispensado do emprego e acabar perdendo a renda mensal, não consegue ter acesso ao benefício assistencial.

“O Ministro Paulo Guedes precisa parar de pensar e contribuir com os banqueiros e começar a olhar para as pessoas, para as famílias. O Governo sempre prejudica a classe mais sofrida brasileira, os que mais precisam. Não dá para aceitar que aproximadamente 200 mil famílias sejam prejudicadas. Não vou assistir isso acontecer calado. Por isso, solicito providências de modo a priorizar esses cidadãos”, completa José Nelto.