José Nelto critica política de Paulo Guedes para o salário mínimo e defende nova fórmula de cálculo

Líder do Podemos, o deputado federal José Nelto (GO) defende a revisão do cálculo do salário mínimo. Para Nelto, a fórmula do reajuste deve ser feita com base na variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), dos últimos doze meses, mais a taxa de crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB), de dois anos atrás, assegurado percentual mínimo de 1% em caso de índice negativo.

“Não adianta o ministro Paulo Guedes sair viajando o mundo e dizendo que a economia brasileira está crescendo se o cidadão não tem dinheiro no bolso. A vida da maioria da população brasileira é fazer compras na feira, nos supermercados, e não viver de juros do mercado financeiro”, observa Nelto.

Durante a discussão da LDO, em 2019, o Nelto chegou a discutir a proposta com líderes do Congresso. Entretanto, a base governista na Comissão de Orçamento do Congresso evitou que a medida prosperasse.

Atualmente, o salário mínimo é reajustado levando em conta apenas a reposição da inflação (INPC).

“Queremos aumento real para o trabalhador. O Podemos tem compromisso com a responsabilidade fiscal e orçamentária do país, mas essa conta não pode ser paga por quem ganha menos”, diz José Nelto.

De acordo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos), 43 milhões de brasileiros têm seus rendimentos referenciados no valor do salário mínimo. Conforme o órgão, o salário mínimo no país deveria ser R$ 4.342,57 para atender as necessidades básicas de uma família de quatro pessoas.

O salário mínimo proposto pelo governo para 2020 foi de R$ 1.039, mas uma Medida Provisória será encaminhado ao Congresso, em fevereiro, reajustando o valor para o ano em R$ 1.045.