Juíza Selma criticou adiamento da votação da reforma da Previdência

A senadora Juíza Selma, em pronunciamento no Plenário na sessão desta terça-feira (24/9), lamentou a decisão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) que, numa inversão de pauta, cancelou a sessão que apreciaria a reforma da Previdência (PEC 6/2019) e convocou sessão do Congresso Nacional para apreciação de vetos do presidente da República à Lei de Abuso de Autoridade.

Para a senadora do Podemos, a atitude do presidente do Senado foi um desrespeito com o povo brasileiro pois, em sua opinião, a prioridade seria a votação da reforma, tão aguardada pela sociedade, que espera pela retomada do crescimento econômico e poderá tirar o país da crise “que está arruinado sua economia”. De acordo com a senadora, a apreciação dos vetos poderia ser marcada para qualquer outro dia.

“O fato é que nós estamos diante de um impasse muito grande no Brasil, na medida em que se dá mais importância a uma lei que pretende coibir a atividade de juízes, promotores, delegados, policiais, desequilibrando a hegemonia que o Estado deve ter sobre o cidadão nessa questão da segurança pública. Soa, no mínimo estranho, dar-se prioridade a isso em detrimento da votação de uma reforma que, esta sim, poderá trazer desenvolvimento ao nosso país”, declarou a senadora.

Em seu pronunciamento, Juíza Selma também convocou a população brasileira a ir a Brasília amanhã, 25 de setembro, para cobrar da Câmara dos Deputados a votação da proposta de emenda à Constituição (PEC 10/2013) que limita o foro privilegiado aos presidentes dos três Poderes e para pedir a abertura do processo de impeachment contra ministros de Supremo Tribunal Federal, além da instalação da CPI dos Tribunais Superiores no Senado.

(com informações da Agência Senado)

Foto: Luiz Wolff