Juíza Selma defende que STF mantenha prisão em segunda instância

Em discurso na sessão plenária desta quinta-feira (17/10), a senadora Juíza Selma, do Podemos do Mato Grosso, defendeu que o Supremo Tribunal Federal mantenha o entendimento para permitir a prisão de condenados em segunda instância. Para a senadora, é preciso garantir segurança jurídica e avançar na aplicação de medidas de combate à corrupção e à criminalidade. A Corte iniciou nesta quinta-feira o julgamento de três ações que discutem a legalidade da medida.

De acordo com Juíza Selma, dados divulgados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) indicam que uma decisão do STF contrária à prisão em segunda instância não reverteria apenas a situação dos investigados na Operação Lava Jato, mas de mais de 4 mil presos. Para ela, não se pode comprometer o combate à corrupção revertendo a decisão com a justificativa de que seria para coibir os abusos da Lava Jato.

“Você tirar um estuprador, você tirar um pedófilo, você tirar um latrocida, porque você tem aqui um julgamento de uma pessoa que é influente, que é um político, que está envolvido na Lava Jato e que, por acaso, você diz que foi torturado pela Lava Jato, por aqueles instrumentos de tortura horrorosos. Quem vê, parece que Sergio Moro e Deltan Dallagnol estavam com algemas, chicotes, instrumentos de tortura medievais, pegando aqueles pobres anjos inocentes e obrigando aquelas pobres pessoas”, disse a senadora do Podemos.

(Com informações da Agência Senado)

Foto: Thati Martins