Léo Moraes pede que governo brasileiro adote restrição para entrada de pessoas do Reino Unido

Nesta segunda-feira (21), o líder do Podemos na Câmara, deputado federal Léo Moraes (RO), apresentou Indicação Legislativa sugerindo ao Presidente da República, Jair Bolsonaro, a restrição temporária da entrada no país de pessoas que estiveram no Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda do Norte, nos 14 dias anteriores, com o objetivo de evitar a disseminação de novas mutações do coronavírus.

O alerta vermelho veio do Reino Unido e já levou vários países a suspender voos procedentes do território britânico, neste domingo (20). Essa nova variante do novo coronavírus chegou a ser classificada como “fora de controle” e muito mais contagiosa do que a disseminada no país. Segundo o Primeiro-Ministro do Reino Unido, Boris Johnson, a variante se apresenta 70% mais transmissível do que o vírus original.

De acordo com Léo Moraes, trata-se de uma restrição temporária e excepcional. “Mostra-se imprescindível a proibição de entrada, seja por rodovias, portos ou aeroportos, de pessoas que estiveram recentemente no Reino Unido, para evitar a disseminação desta nova cepa do vírus, que poderá agravar drasticamente nossa situação em razão da alta taxa de transmissão”, explicou o parlamentar.

Na última semana, o deputado também protocolou requerimento de informações a respeito do planejamento de ações do Ministério da Saúde para conter a chegada de uma 2ª onda de coronavírus no país. Esta solicitação teve como base um estudo desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que apontou o avanço da pandemia em decorrência das festas de fim de ano.

No mundo mais de 20 países, entre eles França, Itália, Áustria, Alemanha, Portugal, Bulgária e Argentina já adotaram a medida restritiva de suspensão de entrada de pessoas por voos, trens ou navios do Reino Unido.