Líder do Podemos cobra votação do projeto que suspende parcelas do consignado; matéria está parada na Câmara há quase três meses

Aprovado em junho pelo Senado Federal, o projeto de lei que suspende o pagamento de parcelas do consignado está prestes a completar três meses parado na Câmara dos Deputados. Em requerimento encaminhado ao presidente Rodrigo Maia (RJ), o líder do Podemos, Léo Moraes (RO), cobra a votação do texto.

“Inaceitável que, neste momento de pandemia, uma matéria com impacto direto no bolso de milhares de famílias continue parado”, pontua Léo Moraes.

O parlamentar lembra que, após a aprovação pelo Senado, o projeto levou “47 dias para só ser registrado” no sistema da Câmara.

“Nunca vi nada parecido. Os senadores aprovaram a proposta no dia 18 de junho e ele só entrou oficialmente em tramitação na Câmara no dia 4 de agosto”, observa.

De autoria do senador Otto Alencar (PSD), a proposta suspende por 120 dias o pagamento de parcelas de contrato de crédito consignado, como medida de socorro financeiro às famílias, em decorrência da pandemia do coronavírus.