Líder do Podemos na Câmara cobra agilidade na análise e no pagamento do auxílio emergencial

O líder do Podemos na Câmara, deputado federal Léo Moraes (RO), cobrou agilidade na análise do auxílio emergencial. O pedido foi reforçado durante a sessão plenária, nesta terça-feira (5).

“O auxílio emergencial tem se transformado em auxílio humilhação. Milhares de beneficiários estão enfrentando filas quilométricas para conseguir o dinheiro”, protestou o deputado.

Além disso, o parlamentar esclareceu que existem relatos de problemas na geração do código para saque e falhas no aplicativo para os casos de movimentação do dinheiro, dentre outras situações.

Diante disso, o parlamentar apresentou o Projeto de Lei 2337/2020 que estabelece o prazo máximo para a análise e concessão do benefício em até dez dias, a contar da data de cadastramento.

Para Léo Moraes, o período de calamidade pública em razão da pandemia exige a pronta atuação do Estado.

“A população de uma forma geral será atingida por essa crise econômica. Todavia, as camadas mais pobres sentirão esse impacto de forma mais intensa. O auxílio foi criado como uma forma de ajudar as pessoas, não para causar problemas para elas”, afirmou o parlamentar.

Na última semana, o deputado protocolou documento na Dataprev e no Ministério da Cidadania, solicitando explicações a respeito dos problemas expostos.

“Há pessoas indo para às agências às 20h de um dia para serem atendidas no outro dia, depois do almoço. Isso é crueldade”, criticou o líder do Podemos na Câmara.