Líder do Podemos propõe Comissão Externa para acompanhar crise energética na região Norte

O líder do Podemos na Câmara, deputado federal Léo Moraes (RO), protocolou requerimento para criação de Comissão Externa Temporária destinada observar “in loco” as unidades de distribuição de energia elétrica dos estados da Região Norte do Brasil. O objetivo é verificar a real situação do fornecimento de energia elétrica na região para evitar “novos apagões”.

Há 20 dias, o Amapá sofre com a falta de fornecimento adequado do serviço elétrico.

“Essa situação tem gerado enormes prejuízos e afetado, entre outros, o abastecimento de água, a compra e o armazenamento de alimentos, serviços de telefonia e de internet. Cerca de 750 mil pessoas, o que representa 89% da população do estado, ficaram sem energia. A situação é dramática, o que tem causado indignação entre os habitantes e uma onda de protestos pelo retorno da energia e pela responsabilização dos culpados. O parlamento tem que acompanhar essa situação de perto”, propõe Léo Moraes.

O parlamentar avalia que a atual condição vivida pelos amapaenses “acende” a luz de alerta sobre a qualidade dos serviços elétricos prestados aos estados do Norte, que possuem histórico de apagões. Fato comprovado pelo relatório do Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC), que em 2018 registrou que a Região Norte apresenta os piores resultados quanto à qualidade do fornecimento de energia elétrica.

“A região Norte tem um DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) apurado médio de 32 horas e atende cinco milhões de unidades consumidoras. O Estado do Acre apresenta o pior desempenho na região, com DEC apurado médio de 48 horas. Naquele ano, o Centro-Oeste teve DEC apurado médio de 23 horas; o Sudeste, de 10 horas; o Sul, de 13 horas; e o Nordeste, de 15 horas. Assim, nenhuma região do Brasil tem tanto tempo de interrupção no fornecimento de energia quanto a Região Norte”, cita trecho do relatório do IDEC.