Líder do Podemos pressiona Aneel para resolver crise energética em Goiás

Durante reunião na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel),  o líder do Podemos na Câmara dos Deputados, José Nelto, pressionou para que a agência cobrasse ações imediatas da empresa italiana Enel, que distribui energia no Estado. “Estamos em uma crise energética sem precedentes, esta empresa acumula milhares de reclamações, por isso trouxemos aqui os diretores de vários Procons para se pronunciar”, apontou o deputado.

Após postagem nas redes sociais do deputado, milhares de pessoas mandaram denúncias e reclamações sobre bairros inteiros sem energia por mais de três dias e aumento nas tarifas de forma indevida.

No município de Ipameri, produtores estão comprando geradores pois já perderam mais de quatro mil litros de leite depois de ficarem 72 horas sem energia.

O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, se comprometeu a convocar o conselho diretor da empresa e acordar ações imediatas para a normalização dos serviços. Caso a Enel não cumpra as determinações, poderá pagar até 2% de multa sobre seu faturamento e sofrer intervenção, apontou o diretor.

Segundo dados Aneel, no ano de 2016, antes da privatização da Celg, os goianos ficaram em média 29,55 horas sem energia elétrica e o limite estabelecido pela Aneel era de 14,94 horas. Em 2017, depois de ser vendida por R$ 2,187 bilhões para a Enel, esse indicador subiu para 32,29 horas, enquanto a meta da Aneel diminui para 14,01 horas.

“Os prejuízos são incalculáveis após meses de péssimos serviços prestados pela empresa italiana que encabeça ranking das 16 piores empresas de energia do país, vamos tomar todas as medidas possíveis para a distribuição de energia seja normalizada, até mesmo uma intervenção ou o governador decretar calamidade”, alertou o deputado.

Texto: Assessoria de Imprensa