Parlamentares do Podemos destacam atuação imparcial de Moro na Lava Jato e alertam para anulações   

Senadores do Podemos consideram a atuação do ex-juiz Sergio Moro como “exemplar” durante os trabalhos na Operação Lava Jato. Nesta quinta-feira (22), com base em provas ilícitas e mensagens que não tiveram sua autenticidade comprovada, o STF declarou Moro suspeito na condução da ação penal que culminou na condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

“O STF decidiu que o juiz Moro foi parcial ao julgar Lula. O Brasil tem uma dívida de gratidão com a Lava-Jato, símbolo contra a impunidade. E esses ministros, que têm o dom de transformar herói em vilão e vilões em heróis, têm uma dívida de gratidão com quem?”, questionou o senador Eduardo Girão (CE).

O líder do Podemos no Senado, Alvaro Dias (PR), diz que o STF abre precedente para que outros condenados pelo ex-juiz possam entrar com recursos e pedir anulações de condenações.

“Alguém tem dúvida de que outros condenados seguirão o mesmo caminho?”, pergunta o parlamentar.

A defesa do ex-deputado Eduardo Cunha, condenado em 2017 pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, já acionou o STF pedindo também a suspeição de Sergio Moro.

Além dos novos pedidos de anulações de condenações o senador Styvenson Valentim (RN), acredita que as decisões do STF podem estimular pedidos de indenizações ao Estado por conta das “condenações injustas”.

“Ao tornar Moro suspeito, várias condenações podem ser anuladas e os condenados podem pedir indenizações. Insegurança jurídica? Temos. E quem pagará essa conta é você”, alerta o senador.

Dados do Ministério Público Federal (MPF) mostram que o trabalho da Lava Jato resultou na condenação de 278 criminosos, com a soma de mais 2.611 anos de prisão no total, e a devolução de R$ 4,3 bilhões aos cofres públicos.

Com as anulações das condenações, o ex-presidente Lula recupera os direitos políticos e volta a ser elegível.

O julgamento que avalia a suspeição do ex-juiz Sergio Moro foi suspenso com o pedido de vista do ministro do STF, Marco Aurélio Mello, e será retomado após a devolução do processo. Uma nova data será definida pelo presidente do STF, ministro Luiz Fux, mas diante do placar de 7 x 2 o resultado é irreversível.