Parlamentares do Podemos repercutem troca do Ministro da Saúde em meio a pandemia da Covid

A indicação do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, repercutiu entre os deputados e senadores do Podemos. O médico assume a pasta no lugar do ex-ministro Eduardo Pazuello, no momento em que o país enfrenta recordes nos números de mortes pelo coronavírus.

A presidente Nacional do Podemos, deputada Federal Renata Abreu (SP), pede prioridade no processo de imunização da população brasileira.

“Chegamos a triste marca de 280 mil mortos. Que o novo ministro, médico de formação, possa conduzir a pasta com seriedade e agilizar, principalmente, a distribuição de vacinas”, pondera a deputada.

O líder do Podemos no Senado, Alvaro Dias (PR), avalia que o novo ministro da Saúde deve apostar na união de esforços de todos os entes federativos e investir em um plano de prevenção e vacinação eficiente para todo o país. O parlamentar reforça o pedido feito por governadores no combate ao coronavírus.

“Após o anúncio de Marcelo Queiroga no Ministério da Saúde, governadores pediram que a nova gestão seja marcada por uma coordenação nacional no combate à pandemia do novo coronavírus”, explica o senador.

O deputado federal José Nelto (GO) espera que Marcelo Queiroga possa desempenhar uma gestão pautada na defesa da vida e que questões de cunho ideológico e político não prevaleçam.

“A única expectativa que tenho do novo ministro da Saúde é de que ele não seja um negacionista. Que ele cuide da saúde do Brasil sem ideologia e entregue a vacina para o povo brasileiro. Se ele não fizer isso, não terá meu apoio na Câmara dos Deputados”, alerta o deputado.

O deputado federal Léo Moraes (RO) também aponta que a prioridade deve ser a vacinação dos brasileiros.

“Desejamos ao novo ministro que cumpra com as expectativas na aquisição das vacinas aprovadas e que consiga desempenhar um ótimo trabalho à frente da pasta, que tem sido bastante modificada”, salienta o deputado.

Marcelo Queiroga, assume a pasta no lugar de Eduardo Pazuello, que esteve como ministro da Saúde desde abril de 2020.  Formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba, atuava como presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Marcelo Queiroga é o quarto indicado a comandar o Ministério da Saúde.