Plano para tirar Moro da disputa de 2022 é “macabro”, diz líder do Podemos

O líder do Podemos na Câmara, deputado federal José Nelto (GO), criticou a manobra de líderes políticos para retirar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, das eleições de 2022. A estratégia seria indicá-lo ao Supremo Tribunal Federal e depois aprovar no Congresso uma lei que prevê quarentena de seis anos para juízes e membros do Ministério Público que decidirem deixar a carreira e disputar eleições. Com isso, Moro ficaria impedido de disputar as eleições seguintes.

“Haverá uma queda de braço dura contra quem quer prejudicar o ministro Sérgio Moro”, adverte Nelto.

O líder do Podemos classifica o projeto como fruto de mentes doentias.

“Esse plano macabro, sinistro, precisa ser denunciado. É um projeto antidemocrático e atrasado. Vamos mobilizar a opinião pública para enterrar essa proposta”, assegura o líder do Podemos.

A proposta, apresentada na Câmara dos Deputados em novembro de 2019, a Lei Complementar nº 64, de 18 de maio de 1990, para estabelecer novos prazos de desincompatibilização para cargos que se submetem à vedação constitucional de filiação partidária, como é o caso de juízes e membros do Ministério Público. Ela será analisada, inicialmente, na Comissão de Constituição e de Justiça.

“Querem banir da vida pública os bons e deixar os maus. Como alguém tem coragem de apresentar um projeto desses. Isso é uma vergonha”, protesta José Nelto.