Podemos quer urgência na votação do pacote anticrime e retorno da medida que prevê prisão em segunda instância

A bancada do Podemos cobra a votação do pacote anticrime, enviado pelo ministro da justiça, Sérgio Moro, ao Congresso Nacional. Líder do Podemos, o deputado José Nelto (GO) defende que os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, pautem o projeto a tempo de ser apreciado ainda neste ano.

“Vou pedir urgência para a votação do texto no plenário. Também não aceitaremos que o projeto seja desfigurado”, diz Nelto.

O deputado reforça que a aprovação do pacote anticrime na forma original atenderá aos anseios da população, que cobra do Parlamento medidas mais severas no combate à corrupção e à impunidade. Segundo Nelto, o Podemos vai propor que alguns pontos retirados retornem ao projeto na votação no plenário. Entre eles, a prisão após condenação em segunda instância e o cumprimento de pena inicial em regime fechado para os crimes de corrupção.

“Não aprovar o pacote anticrime é jogar contra o Brasil. Não vamos permitir essa jogada para desfigurar o projeto. Quem tem medo do pacote anticrime, tem medo da Justiça. A esquerda, por exemplo, não quer aprová-lo. Mas, nós, do Podemos, entendemos que é importante para o país”, enfatiza o parlamentar.

PACOTE ANTICRIME

De acordo com levantamento do relator, o deputado Capitão Augusto do PL/SP, o pacote anticrime já teve 18 pontos suprimidos. Entre esses cortes estão: a retirada do excludente de ilicitude, a exclusão da previsão de prisão após condenação em segunda instância e a rejeição ao cumprimento de pena inicial em regime fechado para os crimes de corrupção passiva ou ativa, peculato ou roubo qualificado.

As medidas previstas no pacote anticrime passam por análise de Grupo de Trabalho na Câmara dos Deputados e, posteriormente, serão votadas pelo plenário.