Projeto de Alvaro Dias criminaliza pesquisas divulgadas 15 dias antes das eleições

O senador Alvaro Dias, Líder do Podemos, anunciou no Plenário, nesta quarta-feira (27/02), a apresentação de projeto que criminaliza a publicação de pesquisas eleitorais quinze dias antes das eleições. De acordo com a proposição do senador, a punição seria de detenção de seis meses a um ano e multa no valor de R$53.205 a R$106.410.

Alvaro Dias, que concorreu à presidência da República nas eleições de 2018, avaliou que a divulgação desse tipo de pesquisa há poucos dias da escolha confunde e leva o eleitor ao equívoco, citando como exemplo o que aconteceu em outubro passado.

“Nós sabemos que há institutos sérios e que, muitas vezes, erram, não por má-fé. Nós não estamos aqui prejulgando. O que nós estamos tentando é corrigir os erros, porque, ao final do processo eleitoral nós poderíamos dizer a alguns diretores de institutos de pesquisa que é melhor fechar as portas, pedir perdão ao povo brasileiro e ir plantar batata no semiárido nordestino sem chapéu, para ver o que é bom, porque, na verdade, o que se fez, especialmente nesta última eleição, é um escândalo em matéria de pesquisa de opinião pública”, disse o senador.

O Líder do Podemos ainda criticou a legislação vigente que disciplina o financiamento das campanhas e tempo de TV e rádio. O senador também defendeu uma reforma eleitoral para evitar desequilíbrio nas disputas.

“O tempo de rádio e TV, a desigualdade é imensa. Não foi uma eleição, portanto, na sua plenitude democrática. Eu poderia dizer que foi uma eleição com desigualdades que retratam as desigualdades sociais vigentes no país, um retrato do que é o Brasil. Uma eleição das desigualdades”, afirmou.