Projeto que altera regras eleitorais é rechaçado pelo senador Reguffe

O senador Reguffe, em pronunciamento no Plenário, nesta terça-feira (17/09),rechaçou a aprovação do PL 5.029/2019, que altera várias regras eleitorais e de partidos políticos. Para ele, a lei não serve para o cidadão de bem e contribuintes honestos do país. O senador do Podemos do Distrito Federal disse que o projeto retira do limite de gastos públicos os honorários contábeis e advocatícios, possibilitando, inclusive, lavagem de dinheiro, o caixa dois.

Reguffe destacou ainda, que o mesmo projeto acaba com a padronização das prestações de contas, dificultando o controle da sociedade sobre os recursos dos partidos político, que para ele, vai na contramão de tudo que está acontecendo no mundo em termos de controle social sobre as campanhas políticas. O senador lembrou também a aprovação do aumento do fundo público de campanha eleitorais, na Comissão Mista de Orçamento (CMO) para R$ 3,7 bilhões.

“Num país que não consegue dar conta da saúde, com pessoas em macas nos corredores dos hospitais, com pessoas amontoadas nas emergências dos hospitais públicos, sentindo dor, o país vai gastar R$ 3,7 bilhões com o fundo público de campanha. E num passe de mágica. Passou de R$1,7 bilhão para R$3,7 bilhões”, ressaltou o senador Reguffe.

(com informações da Agência Senado)

Foto: Jane de Araújo/Agência Senado