Proposta de Roberto de Lucena é aprovada e Câmara realiza Comissão Geral para debater a fome no país

A crise econômica e sanitária causada pela pandemia do coronavírus, levou o presidente do Grupo Parlamentar Brasil/ONU e da Frente de Direitos Humanos e Justiça Social, deputado federal Roberto de Lucena (SP), a propor a transformação de sessão plenária da Casa Legislativa em Comissão Geral para debater a fome no país. A proposta recebeu apoio de 323 parlamentares de distintos partidos, quase o dobro das 171 assinaturas necessárias para aprovação do requerimento.

“A fome é real, não está longe de nós e piorou com a pandemia. A fome atingiu 19 milhões de brasileiros no fim de 2020. Ao todo, quase 117 milhões de pessoas, mais da metade da população, enfrentam algum grau de insegurança alimentar. Isso é questão de dignidade”, defende o deputado.

Dados do levantamento “Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil”, revelam que a fome atingiu diretamente pelo menos 19 milhões de brasileiros na pandemia, no ano de 2020. Desses 116,8 milhões de pessoas que conviveram com insegurança alimentar no Brasil nos últimos meses, o equivalente a 55,2% dos domicílios.

Serão convidados como debatedores autoridades dos ministérios da Cidadania; da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; das Relações Exteriores; também o Sistema das Nações Unidas no Brasil e suas agências correlatas; dentre outros representantes de missões diplomáticas, da sociedade civil organizada, além de personalidades, acadêmicos, profissionais multissetoriais e especialistas na temática.

No documento, o parlamentar lembra que a Organização das Nações Unidas tem feito constantes alertas sobre o agravamento da fome, como reflexo da pandemia da Covid. Para o deputado o encontro viabilizará a discussão, entre outros assuntos, do tema do combate ao desperdício de alimentos.

Dados da EMBRAPA publicado no relatório final: “Intercâmbio Brasil-União Europeia sobre desperdício de alimentos”, mostram que, em média, cada lar brasileiro desperdiça 128,8 kg por ano.