Renata Abreu foi a primeira parlamentar a cobrar o governo sobre o coronavírus

Ainda estávamos em janeiro, quando a presidente nacional do Podemos, deputada federal Renata Abreu (SP), cobrou publicamente o governo sobre as medidas preventivas e de combate contra o coronavírus, que já deixava triste rastro de mortos e infectados pelo mundo.

Ela estava preocupada com a proximidade do Carnaval, maior festa popular do país e que sempre atrai milhões de turistas. E o temor dela eram os aeroportos e portos que, sem controle sanitário preventivo junto aos passageiros, poderiam ser a porta de entrada do vírus no Brasil, o que acabou se comprovando nas semanas seguintes.

Na ocasião, apesar de o país ter apenas 9 casos suspeitos, Renata pedia a urgente presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na Câmara para tirar todas as dúvidas sobre o avanço da epidemia pelo mundo. “Ele precisa vir até nós para detalhar os procedimentos a serem adotados e tranquilizar a população brasileira”, justificou a presidente do Podemos em 29 de janeiro.

Até então, o coronavírus vinha sendo observado como epidemia, mas em 11 de março a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou a pandemia do novo coronavírus, já que a doença, tirando os casos da China, havia em poucas semanas aumentado 13 vezes e a quantidade de países afetados triplicara, registrando quase 5 mil mortes no mundo. Hoje, são mais de 50 mil mortos, sendo 244 no Brasil (dados de 2 de abril). A definição de pandemia não depende de um número específico de casos. Considera-se que uma doença infecciosa atingiu esse patamar quando afeta grande número de pessoas espalhadas pelo mundo.

FIQUE EM CASA

Segundo Renata Abreu, hoje o Brasil está tomando medidas corretas para reduzir o impacto da contaminação. “O isolamento social e a restrição de movimentos, se cumpridos à risca por todos, nos ajudarão a reduzir a velocidade da disseminação da doença. O importante é a conscientização de todos. Ficar em casa é o antídoto que cada cidadão pode fazer para ajudar a frear o avanço do vírus”, aconselha a parlamentar, que em suas redes sociais têm parabenizado os profissionais que estão na linha de frente de combate.

“Os profissionais de Saúde merecem o nosso reconhecimento, os nossos aplausos e o nosso muito obrigado. Para salvar vidas, eles se expõem e colocam em risco a própria vida”, agradece a deputada federal.