Renata Abreu pede a intervenção do Banco Central na Cohab de Bauru

A deputada federal Renata Abreu (Podemos-SP) reuniu-se hoje (5) com o presidente do Banco do Brasil, Roberto Campos Neto, para pedir a intervenção da instituição na Cohab de Bauru, que atravessa catastrófica situação financeira, com desvios milionários e fraudes decorrentes de más gestões.

As dívidas acumuladas da Cohab somam mais R$ 5 bilhões, isso sem contar os R$ 57 milhões desviados pela corrupção, conforme a operação João de Barro, do Ministério Público Estadual (MPE), deflagrada no ano passado para apurar o crime de desvio do dinheiro público, além dos crimes de constituição e participação em organização criminosa, lavagem de capitais e outros.

“A Cohab Bauru construiu milhares de unidades habitacionais no município e em outras 15 cidades da região por mais de 20 anos. Hoje, infelizmente, não tem se dedicado ao seu papel, devido às gestões fraudulentas, que desvirtuaram suas atividades e saquearam a companhia”, explica Renata.

Dias atrás, a Caixa Econômica pediu o bloqueio de 25 dos 95 contratos que a Companhia de Habitação de Bauru deve ao banco público, no montante de R$ 280 milhões. O pedido está em análise na Justiça, mas, se esse valor for bloqueado, comprometerá ainda mais a situação financeira da Cohab.

Buscando encontrar alternativa para resolver a situação, Renata Abreu solicitou que o BC intervenha na gestão da Cohab, já que a Lei 6024/13 permite a intervenção quando verificar que a entidade sofreu prejuízos financeiros decorrentes de gestões fraudulentas.

Diante do exposto, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, assegurou que a equipe técnica da instituição se debruçará sobre o caso a fim de encontrar uma saída.

Participaram da audiência o advogado Bruno Primo, presidente do Podemos-Bauru, e os coordenadores do mandato na região de Bauru e Marília, respectivamente Abner Isidoro e Vinicius Vallim.