Renata Abreu pede urgência para repatriar brasileiros retidos em Portugal

Presidente nacional do Podemos, a deputada federal Renata Abreu (SP) mobiliza-se para ajudar os brasileiros em Portugal e que não conseguem voltar ao Brasil. Muitos estão enfrentando dificuldades financeiras para sobreviver. Por causa da pandemia, os voos estão suspensos pelo governo português desde 29 de janeiro. A parlamentar encaminhou requerimento ao Ministério das Relações Exteriores pedindo urgência para repatriação.

Os governos dos dois países concederam uma autorização especial à TAP para um voo de ida e volta entre Lisboa e São Paulo, sexta-feira e sábado.

“Sim, haverá um voo, chegando no Aeroporto de Cumbica, trazendo um grupo de brasileiros, mas só estarão nele aqueles que conseguiram comprar passagens pela TAP, empresa aérea portuguesa. Como fica quem não conseguiu? Eles precisam urgentemente de assistência e condições para retornarem ao Brasil. É isso que estou pedindo ao governo federal que, por meio do Itamaraty, providencie o retorno de todos que estão retidos o mais rápido possível. Trata-se de uma ação humanitária”, ressalta Renata Abreu.

Nas redes sociais, brasileiros demonstram descontentamento e frustração com essa operação. Muitos, especialmente os que tinham passagens pela Azul e pela Latam (que também operam voos diretos entre os dois países), dizem não ter dinheiro para comprar novos bilhetes.

A edição de ontem do Jornal Notícias, de Portugal, estampou a difícil situação desses brasileiros. Segundo a reportagem, a viagem entre Lisboa e São Paulo, marcada para amanhã, tinha bilhetes só de ida custando 850 euros (aproximadamente R$ 5.600).

As viagens entre os dois países estão suspensas desde 29 de janeiro por decisão do governo de Portugal. O agravamento da pandemia e a preocupação com a variante identificada no Amazonas levaram o governo português a cancelar todos os voos entre Portugal e Brasil. A medida, que já foi prorrogada uma vez, está prevista a se encerrar na próxima segunda-feira, mas as autoridades sanitárias daquele país querem estendê-la até 14 de março.

Num grupo de WhatsApp, que reúne mais de 200 brasileiros atingidos pelo cancelamento dos voos, vários deles relatam estar precisando de auxílio de ONGs e entidades religiosas até para conseguirem se alimentar no país.

“Temos recebido muitos relatos de brasileiros, que já perderam seus empregos e não têm mais condições financeiras de continuarem em Portugal. Precisamos que o governo federal socorra todos os nossos cidadãos”, pede Renata Abreu.