Retomada de julgamento pelo STF da descriminalização da maconha é criticada por Styvenson

O senador Styvenson Valentim, do Podemos do Rio Grande do Norte, criticou durante pronunciamento, nesta terça-feira (28), a possibilidade de ser descriminalizado o uso da maconha pelo Supremo Tribunal Federal. Isso porque os membros da Corte agendaram retomar a análise de ação sobre o tema para a próxima semana. Três ministros já votaram favoravelmente à descriminalização.

Styvenson lembrou que durante os 16 anos que passou na Polícia Militar do Rio Grande do Norte o fizeram ter a convicção da necessidade de tolerância zero com qualquer tipo de droga. Ele disse que está crescendo o número de dependentes químicos em todo o país, o que provoca, segundo ele, além do drama humano e do risco para a sociedade, enormes despesas médicas para o poder público. Styvenson Valentim afirmou que, apenas em 2018, foram gastos R$ 120 milhões no tratamento de pessoas dependentes químicas.

“E o risco que toda a sociedade está correndo quando a pessoa se vicia e é capaz de matar a própria mãe para conseguir dinheiro para comprar drogas?”, questionou o senador Styvenson.

De acordo com o senador do Podemos, estudos recentes revelam que um percentual alto de meninos e meninas de 13 a 15 anos já experimentaram drogas. “Pelo menos 50% já experimentaram bebida alcoólica. Isso em 2012. Esse número subiu para 55 em 2015. A taxa dos que usam drogas ilícitas aumentou de 7% para 9% no mesmo período. Esses números da saúde nacional – Pense – foram divulgados pelo IBGE. Gente, é na primeira infância, na adolescência que se estabelecem hábitos que são levados pela vida toda, pela vida adulta. Esses são os nossos futuros cidadãos, futuros professores, advogados, médicos, políticos. Que tipo de sociedade estaremos desenhando quando descriminalizarmos a maconha, mesmo que seja uma quantidade pequena? Não existe quantidade pequena. Droga é droga em qualquer quantidade, seja ela qual for, principalmente a maconha, a inofensiva maconha. Será lesiva ao longo do tempo, porque o vício faz a pessoa requerer mais doses, doses cada vez mais altas. É um feedback para quem se alimenta dessa química para poder sentir alegria ou prazer”, destacou o senador Styvenson Valentim.

(com informações da Agência Senado)

foto: Luiz Wolff