Podemos projeta estar entre as 3 maiores forças políticas em 4 anos

O Podemos quer estar entre os três maiores partidos do país em, no máximo, quatro anos. O objetivo foi assumido no seminário nacional de Planejamento Estratégico, realizado pelo partido, nesta segunda (26), em um hotel na capital federal.

O resultado eleitoral e as propostas defendidas, como a bandeira do combate à corrupção, da transparência e da participação popular, consolidaram o Podemos no campo político nacional nos últimos anos. Em 2018, lançou Alvaro Dias como candidato à presidência da República, saltou de quatro para 11 deputados na Câmara, e já é a terceira maior bancada no Senado, com oito parlamentares.

“Meu maior sonho é que o Podemos seja um dos três maiores partidos do país. Mais do que isso, que seja partido com maior intenção de votos”, projetou a deputada federal Renata Abreu (SP), presidente nacional do Podemos.

Alvaro Dias (PR), líder do Podemos no Senado, afirmou que em meio à crise política que assola o país, e diminui a credibilidade dos partidos políticos, o Podemos se destaca como uma alternativa. “Sinto-me honrado em dizer que pertenço ao Podemos, um partido que sonha em oferecer ao país uma alternativa de respeitabilidade e credibilidade. É a mensagem de esperança, é a mensagem de confiança nas potencialidades econômicas e humanas que privilegiam o nosso país”, defendeu o parlamentar.

Da mesma forma, o deputado federal José Nelto (GO), líder do partido na Câmara, garantiu que o Podemos tem compromisso com o Brasil. “O Podemos tem posicionamento, compromisso com o país e com as grandes reformas, política; tributária e combate à corrupção. É um partido que vai oferecer um país justo para a juventude e para as classes mais sofridas”, assegurou.

O seminário foi também o primeiro evento de alinhamento com o PHS, incorporado recentemente ao Podemos. O fruto dessa união deve ser o que há de mais moderno na política partidária. “O Podemos tem uma preocupação em inovar o jeito de fazer política, trazendo responsabilidades corporativas para área partidária, como a governança e compliance”, enfatizou a deputada Renata Abreu.

“O Podemos é o único partido que está com essa preocupação de compliance e governança. É preciso reconhecer que o partido sai na frente”, reconheceu Roberto Livianu, promotor de Justiça e presidente do Instituto Não Aceito Corrupção.

Texto: Assessoria de Imprensa